Querido artista, faça um vídeo!

Entre os abacaxis que eu descasco por aí estão vídeos cheios de amor. A imagem é não apenas um belo cartão de visitas para o artista, como também faz sentido quando o assunto é engajamento. Se você cria um conteúdo em vídeo no Facebook, por exemplo, ele faz com que seu post apareça mais vezes na timeline do que outros apenas com texto ou foto. Se for link externo então, pior ainda – por isso, sempre melhor colocar algo orgânico na plataforma.

Outra curiosidade é que os brasileiros ainda usam o Youtube como principal plataforma de streaming para ouvir música. Não à toa, a galera de lá está pensando em criar um concorrente para o Spotify e afins este ano, chamado até o momento de Remix. #FicaDica

Entendeu agora porque tantas webséries, clipes e lives te mandando notificações o tempo todo? Listei aqui alguns clipes que valem a pena conferir – além de boa música, roteiros e produções pensadas com todo aquele carinho de quem ama e respira arte.

O primeiro é “Tem, Mas Tá Em Falta”, do Lucas Adon, uma produção #DescascoAbacaxi com direção do Nicolas Vargas. Fresquinho, ele saiu agora pouco pelo Brasileiríssimos e mostra a personagem principal vivendo o luto de uma perda, enquanto seu inconsciente se enche de vida e a convida para dançar as cores de um recomeço. Dá o play!

Já Janaina, do querido Tiago Rubens – que saiu de Porto Alegre para ganhar a Espanha – é uma delicada oferenda a Iemanjá e saiu no último dia 02, em homenagem à rainha do mar. Odoyá!

Tem alguns que saíram faz um tempinho. Mas são produções tão mara que merecem ser lembradas. “Ciranda” já é um clássico do Leo Middea.

“Não Espero Mais”, do Terno, é simplesmente uma lição de produção e roteiro.

Poesia e dança é resumo de “Dentro Desse Ser”, da Marina Decourt – que fez a captação de imagens do primeiro clipe deste post. ❤ #famiglia

“Desaviso”, da Thamires Tannous, foi uma produção dessa Sra. Abacaxi que vos fala. É daqueles que escorrem uma lagriminha de amor, sabe?

E já que falamos de artistas multi-funções, Victor Cavalcanti é um exemplo especial. O cara não fez apenas vídeos incríveis do seu som autoral, como chegou a dirigir campanhas de artistas como Claudia Leitte e criou este belo minidoc narrando o caos de quem resolve se desconstruir em meio ao furacão da depressão.

Texto: Carol Tavares
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s